Prematuridade extrema: como as crianças se desenvolvem aos 10 anos de idade?

Compartilhar

  • 0
  • 1592

(O conteúdo completo deste artigo está disponível somente em inglês e para assinantes do periódico.)

Apesar da redução da mortalidade e morbidade entre os bebês nascidos extremamente prematuros, essas crianças ainda possuem um alto risco de apresentar déficits neurocognitivos. Cerca de 40% delas apresentam déficits cognitivos significativos em idade escolar. Para estudar este grupo de risco, a pesquisa a seguir analisou as taxas de déficit neurocognitivo em uma coorte de 873 crianças de 10 anos que nasceram antes de completarem 28 semanas de gestação.

Os resultados mostram que mais da metade das crianças analisadas exibiram déficits neurocognitivos moderados ou graves aos 10 anos de idade, com os prejuízos mais extensos encontrados entre os nascidos com o menor idade gestacional. As crianças nascidas extremamente prematuras continuam a estar em risco significativo de deficiências persistentes na função neurocognitiva e desempenho acadêmico, ressaltando a necessidade de monitoramento e remediação de tais resultados desde a Primeira Infância.

Compartilhar

Deixe seu comentário

O Radar nas redes sociais

Iniciativa

Apoio

Iniciativa

Apoio